Quadril

O que é?

Por definição, tendinite é a inflamação nos tendões que causa dor e inchaço. Os locais do corpo mais acometidos por este tipo de inflamação costumam ser os membros superiores, como ombro, punho, cotovelo e mãos. Mas o esforço e a sobrecarga podem causar tendinite, inclusive, no quadril.

Quais as causas?

A tendinite está tanto no grupo das doenças ocupacionais, quanto das não ocupacionais. Ou seja, é uma enfermidade que pode tanto estar ligada com as atividades que o indivíduo exerce em seu trabalho, quanto estar ligada com atividades como a prática de esportes. A tendinite pode até mesmo ser o desgaste natural das articulações ao longo do tempo.

A inflamação nos tendões dos músculos glúteos é sentida na região lateral do quadril, podendo chegar até a região da coxa, e pode vir associada a bursite do quadril (bursite trocantérica). O que costuma gerar a tendinite e, consequentemente, as dores no quadril, são esforços repetitivos, excesso de força e posições viciosas, que acabam forçando os tendões do corpo. A proeminência do trocânter maior (saliência lateral do quadril) associada com falta de alongamentos da musculatura lateral da coxa (banda ilio-tibial), também pode geral atritos e consequentes inflamações locais (atrito da banda ilio-tibial / coxa saltans).

A tendinite no quadril também pode estar relacionada à desidratação: a falta de água no organismo pode acumular toxinas que favorecem que tendões e músculos possam desenvolver lesões como a tendinite.

Quem está no grupo de risco?

O grupo mais afetado pela dor no quadril, gerada pela tendinite, são atletas que praticam atividades físicas que geram esforço frequente para os membros inferiores: como ciclistas, tenistas e corredores, por exemplo.

Os idosos também se encontram no grupo de risco e podem sofrer com a inflamação dos tendões já que, com o tempo, há um desgaste progressivo das articulações do quadril.

Quais os sintomas?

O maior sintoma da tendinite no quadril é a dor. Já que os tendões estão inflamados e continuam recebendo uma carga de peso e esforço que, no caso do quadril, pode ser sentida dos dois lados dependendo da gravidade do caso.

Além disso, o paciente pode sentir dificuldade ao fazer movimentos que incluam o lado afetado: como caminhar, sentar, ou deitar. Outro sintoma relacionado à tendinite no quadril é a dor noturna, ocasionada pela pressão contra o colchão ou por postura inadequada.

Como é feito o diagnóstico?

Para o diagnóstico da tendinite no quadril, o médico ortopedista especialista em quadril irá analisar o nível de dor e sensibilidade que o paciente sente na área, além de pedir exames específicos, como o raio-x e a ressonância magnética.

O paciente também deve relatar a rotina e as atividades que costuma realizar para que a análise feita pelo especialista seja a mais precisa possível.

Como é o Tratamento da Tendinite no Quadril?

Após o diagnóstico do médico, inicia-se o tratamento que consiste em aplicar gelo no local, por cerca de 40 minutos, entre três e seis vezes ao dia, dependendo da intensidade da inflamação e da dor. Além disso, o médico ortopedista especialista em quadril irá receitar analgésicos e anti-inflamatórios para que os quadros de dor e inflamação sejam amenizados com o passar dos dias.

O tratamento também inclui fisioterapia e exercícios para o alongamento dos tendões, para que haja o alívio da dor e a melhora dos locais inflamados, ajudando no processo de reabilitação do paciente.

Mais Informações

Para que os tendões possam se estabilizar e o paciente volte a ter vida ativa sem dor, é preciso seguir a orientação do especialista da melhor maneira possível. Já para a prevenção da tendinite no quadril, é importante atentar-se a três etapas.

1 – Alongar

A função do alongamento, antes e depois de praticar atividades físicas é evitar lesões, como distensões e inflamações (justamente o caso da tendinite no quadril). Para idosos, também é recomendável o alongamento antes de caminhar.

2 - Evitar movimentos repetitivos

Dependendo do esporte, ou do tipo de trabalho que se pratica os movimentos repetitivos acabam gerando excesso de carga no quadril, por isso, a importância de pausas durante estas atividades.

3 – Consultar um especialista

Em caso de dor, não tente se automedicar ou esperar ela passar. Consulte um médico ortopedista especialista em quadril. Ele terá a melhor orientação para o quadro específico de cada paciente e isso evitará complicações no futuro. Para que o processo de cura seja mais rápido, é preciso ter paciência e disciplina. Outra dica importante é descansar a região afetada.

A alimentação também é uma aliada durante o período de recuperação: além dá água, que ajuda a hidratar todo o corpo, alimentos saudáveis podem ajudar no processo anti-inflamatório de cura da tendinite.

Dentre alguns alimentos anti-inflamatórios estão: peixes ricos em ômega 3, como o salmão; sementes com ômega 3, como a linhaça; frutas cítricas como a laranja e a acerola; frutas vermelhas como a romã e a melancia; frutas oleaginosas como as castanhas e as nozes; vegetais como o brócolis e o repolho; ervas aromáticas como o açafrão e o curry; além do azeite.

Lembre-se que ao sentir dor no quadril, a primeira medida a ser tomada é consultar um médico ortopedista especialista em quadril: assim, o diagnóstico e os tratamentos mais adequados serão passados!

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114
WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100
WhatsApp: (11) 94143-0032