O que é?

O Pé Chato, também conhecido como Pé Plano, é uma condição que se caracteriza por possuir um formato específico, em que a curvatura (arco plantar) da parte interna do pé é quase inexistente.

Na pegada de uma pessoa com Pé Chato é possível notar que existe uma diminuição no arco plantar, já que a sola do pé toca quase inteiramente o chão, sem deixar um formato de ‘C’ na face de dentro (medial).

Vale lembrar que o Pé Chato fisiológico (normal), costuma ocorrer em ambos os pés.

Quais as causas? E os grupos de risco?

Durante certo período da infância, todas as crianças apresentam a condição. Isso acontece porque o arco plantar desenvolve-se depois do nascimento do bebê, a partir dos dois anos, mesma época em que a gordura do pé começa a ser eliminada. Antes disso, os bebês possuem pés que se parecem com “pãezinhos” e se caracterizam como Pés Chatos.

O processo de crescimento e desenvolvimento da curvatura costuma acontecer até, mais ou menos, os 12 anos. Por isso, não há motivos para se preocupar logo de início, mas é importante acompanhar o avanço e, se houver surgimento de sintomas, comunicar ao médico.

A hereditariedade é uma das causas conhecidas de Pé Chato e pode, ou não, estar associada à hiperfrouxidão ligamentar (excesso de flexibilidade), também comum em crianças.

Entre outras causas conhecidas estão algumas más-formações ósseas ou de outras regiões, problemas nos tendões e outras deformidades.

Sintomas

Como já dito, os sintomas de Pé Chato costumam surgir por um período nas crianças. Na maioria dos casos, o crescimento durante a infância já sana o problema com o desenvolvimento do arco plantar. Nesses casos, o sintoma mais comum é a alteração visual da área. Em questão de dor, a condição segue assintomática.

No entanto, é preciso acompanhar a “formação” do pé durante os anos para evitar que uma possível condição não fisiológica passe despercebida. Algumas dicas podem ajudar os pais e responsáveis: verificar o formato das solas dos sapatos – checar se há um desgaste muito grande em uma região, checar se a criança reclama de dor na hora de realizar atividades físicas (as dores costumam ocorrer nas penas e nos pés em geral), além de acompanhar se há deformidade muito evidente ou assimétrica (maior em um pé do que no outro).

Em geral, tanto em crianças como em adultos, o Pé Chato é uma condição benigna que não causa dor. O sintoma mais recorrente é a anomalia do membro que não possui a curvatura interna esperada.

Diagnóstico

Para comprovar e buscar tratamentos para o Pé Chato, o indicado é realizar uma visita ao ortopedista. Durante a consulta, ele realizará um exame clínico que consiste em duas etapas: a primeira é ouvir do paciente os sintomas e as queixas; a segunda é realizar alguns testes para avaliar a condição.

Os testes podem variar entre podoscopia, que consiste em analisar as ‘impressões digitais’ do pé aplicadas em um aparelho, além de um teste simples, pedindo para o paciente ficar na ponta dos pés e analisar como a curvatura e o calcâneo se comportam, além de realizar exames de palpação dos pés, para avaliação da sua flexibilidade.

Para complementar o diagnóstico, o especialista pode solicitar exames de imagem, como raio-x e tomografia computadorizada, especialmente se houver suspeita de alguma condição associada.

Tratamento

Grande parte dos casos é assintomática e caminha para a cura de maneira espontânea. Mas se o caso apresentar dor, incômodo e dificultar o dia a dia do paciente, existem algumas opções de tratamento.

A fisioterapia pode ajudar bastante na questão da frouxidão, especialmente com os exercícios de alongamento, bem como os de fortalecimento muscular.

A escolha dos sapatos corretos é fundamental para evitar que os sintomas se agravem, podendo haver, também, recomendação de uso de palmilhas ortopédicas para aliviar a pressão e reduzir a dor.

Como os pés recebem uma grande sobrecarga diária, a perda de peso também pode ser uma aliada no alívio de sintomas. Diminuindo a pressão sobre o Pé Chato, o incômodo deve ser amenizado, assim como dores em outras regiões, como tornozelos e joelhos.

Alguns casos extremos de Pé Plano podem ser encaminhados para a cirurgia. São situações bem raras, mas que podem acontecer. Em geral, o paciente realiza o procedimento cirúrgico quando a deformidade é incapacitante (dificulta o caminhar, resulta em alterações estruturais nos joelhos etc). A cirurgia também pode ser indicada em condições de Pés Planos rígidos, com a presença de barras ósseas, que causam a deformidade e tendem a piorar com o tempo.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114
WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100
WhatsApp: (11) 94143-0032