Joelho

O que é a artrose do joelho?

Artrose, também conhecida como osteoartrite, é uma doença que não tem cura e que provoca o desgaste das articulações e das cartilagens que recobrem as extremidades dos ossos. No caso da artrose do joelho, ela provoca o desgaste da articulação que liga os ossos do fêmur e da tíbia (que faz a conexão entre a coxa e a perna), causando a degeneração da cartilagem e da bolsa de líquido sinovial (ambos atuam como um amortecedor de impacto na articulação) aumentando o atrito entre os ossos.

Quando a artrose está na fase inicial, a cartilagem fica mais áspera, aumentando o atrito durante o movimento da articulação, como ao andar ou correr, por exemplo. A artrose grave surge quando a cartilagem é completamente destruída, fazendo com que o atrito entre os dois ossos cause grande desgaste.

Sinto dor no joelho ao movimentar e tenho mais de 60 anos, posso estar com artrose?

São vários os sintomas que indicam a doença. Ficar com as articulações do joelho imóveis por um grande período, como em sessões de cinema ou durante viagens de avião pode agravar a dor. Ela é pior durante a noite (pois o corpo se encontra relaxado) e alivia com o repouso.

É comum idosos que possuem artrose no joelho reclamarem de dor na articulação durante mudanças de clima. Porém, conforme o avanço da doença, a dor pode ocorrer durante ações menos intensas ou mesmo em repouso. Alguns pacientes relatam rigidez nas articulações, inchaço, calor, rangidos e estalos no joelho na região das articulações afetadas.

Quais as causas para artrose do joelho?

A doença é muito comum em pessoas com mais de 60 anos, e ocorre raramente em homens e mulheres de 40 anos (as mulheres têm três vezes mais chance de desenvolver a doença). Apesar de ser degenerativa e muito comum na velhice, não é regra que todas as pessoas terão artrose. Um dos principais fatores de risco para artrose no joelho é a idade avançada aliada a uma vida sedentária (má alimentação, postura incorreta, obesidade e a falta de atividades físicas).

Todavia, há outros fatores que podem indicar artrose no joelho, trabalhos que exijam mais esforço físico, esportes de alto impacto, doenças musculares, predisposição genética, deformidades ósseas e, em casos mais raros, outra doenças podem aumentar a chance de desenvolver a artrose, como o hipotireoidismo, gota ou a Diabetes Mellitus.

Como é feito o diagnóstico pelo ortopedista?

Além do histórico do paciente e do detalhamento dos sintomas, o médico ortopedista se baseia também no exame físico dele, dando especial atenção a articulação afetada, verificando sensibilidade, inchaço ou vermelhidão.

Após essas etapas, o médico deve pedir exames de Raios-X e em casos duvidosos até a ressonância magnética, ambos para avaliar a parte interna da articulação afetada. Outros exames mais específicos podem ser pedidos, como exame de sangue e de análise do líquido sinovial para descartar outras causas e doenças, como artrite reumatoide ou gota.

Quais são os tratamentos indicados para a doença?

Existem vários tratamentos que podem ajudar a reduzir a dor ou retardar o desenvolvimento da artrose, como por meio de medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e infiltrações de cortisona para aliviar a dor. Tudo sob orientação médica.

Outro tipo de tratamento é por meio de fisioterapia (para fortalecer os músculos da articulação comprometida) e a terapia ocupacional, para descobrir a melhor maneira de realizar as atividades diárias sem piorar o avanço da doença. Quando o tratamento conservador não for o suficiente para conter ou retardar o avanço da doença, o tratamento cirúrgico pode ser indicado.

Existem vários tipos de cirurgia para artrose do joelho, indicadas de acordo com o grau de erosão e lesão das articulações. As cirurgias mais comuns são a de realinhamento – indicada para pacientes mais jovens e ativos, no intuito de realinhar os ossos e outras estruturas desalinhadas pela artrose – e a cirurgia de substituição da articulação realizada por meio de artroplastia, que visa retirar as articulações danificadas e trocar por uma prótese feita de metal.

Informações de recuperação e tratamento

A fisioterapia leve e a prática de exercícios físicos (de menor impacto) são recomendadas para prevenir a perda ou limitação do movimento articular e para evitar a atrofia dos músculos. Descanso, perda de peso e mudanças na casa (como colocar barras no banheiro ou transferir quartos ou cômodos que fiquem no segundo andar da casa para o piso térreo) também são indicadas. Tudo feito sobre orientação médica.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114
WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100
WhatsApp: (11) 94143-0032