Traumatologia

O que é?

A Fratura de Quadril é considera uma das mais graves lesões ósseas. Ela se dá por uma fratura na região da porção proximal do fêmur, que é formada pela cabeça do fêmur, pelo colo do fêmur e pela região trocantérica. Para quem ficou confuso com o fato da Fratura de Quadril se dar no fêmur, vale lembrar que essa região está ligada aos ossos da pelve formando a articulação do quadril.

Assim como outras fraturas, a Fratura no Quadril acontece por uma ruptura (divisão) do osso. Como ocorre em uma região de alta mobilidade, ela pode comprometer os movimentos e causar outras complicações.

Quais são as causas da Fratura de Quadril?

As Fraturas de Quadril acontecem de maneira muito mais frequente nos idosos. O principal motivo para isso são as quedas de própria altura, que acontecem por algumas razões recorrentes.

Uma delas é a Osteoporose, doença causada pela perda de massa óssea causada pelo envelhecimento. Ela deixa os ossos mais fracos e suscetíveis a fraturas e costuma atingir com mais frequência mulheres no período pós-menopausa.

O avanço da idade também é responsável por perda de massa muscular e de equilíbrio, bem como alteração na postura. Esses fatores acabam, muitas vezes, influenciando as quedas.

Além disso, é comum que os idosos tenham seu tempo de reação aumentado. Isso quer dizer que, conforme a idade avança, fica mais difícil responder rapidamente a uma situação de risco. Por exemplo, se um idoso tropeça e precisa se apoiar para cair, pode ser que ele não consiga realizar essa manobra em tempo hábil e acabe sofrendo a queda.

As estatísticas mostram que, por ano, 30% das pessoas com mais de 65 anos e 40% com mais de 80 sofrem quedas. A previsão é que em 2050, mais de seus milhões de pessoa sofram Fraturas no Quadril por conta do aumento progressivo de pessoas da terceira idade no mundo.

Ainda que as Fraturas de Quadril sejam mais comuns nos idosos pelos motivos citados acima, elas também podem acontecer por outras causas. Fraqueza muscular (causada ou não por alguma doença), acidentes automobilísticos, atropelamentos, quedas de indivíduos com deficiência visual e outros traumas podem resultar em algum tipo de Fratura no Quadril.

Sintomas e diagnóstico

A dor é o principal sintoma de uma Fratura de Quadril. O indivíduo que sofre esse tipo de lesão costuma sentir dor no quadril, dor na virilha e dor na coxa.

Outro sintoma é a dificuldade de andar. O paciente pode ficar totalmente incapacitado de caminhar ou andar mancando, sentido bastante dor. Dependendo do caso, a região também pode apresentar hematomas.

Como a Fratura de Quadril costuma acontecer em situações de queda ou grandes traumas, os pacientes são imediatamente encaminhados para hospitais. A análise dos sintomas, raio-X e, se necessário, tomografia computadoriza são utilizados para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

O médico vai levar em conta o tipo da fratura, que pode ser intracapsular (do colo do fêmur) e extracapsular (subtrocantérica e intertrocantérica).

Tratamentos

Em geral, a cirurgia é o tratamento mais indicado para uma Fratura de Quadril. O método utilizado vai depender do tipo da fratura e do paciente (se ele é idoso ou jovem, por exemplo).

Alguns casos são solucionados com a reconstrução do osso por meio de parafusos e placas. Para outras situações é indicada a Artroplastia de Quadril, que consiste na substituição da articulação por uma prótese de quadril.

Algumas complicações podem surgir no pós-cirúrgico. Entre elas estão a trombose venal, infecções e a necrose avascular da cabeça femoral. O fator mais agravante é que certas situações podem ser assintomáticas por um período e se manifestarem já tardiamente. Por isso é extremamente importante manter um acompanhamento regrado com o médico.

Em geral, o paciente permanece imobilizado no pós-operatório. Assim que for liberado pelo médico, ele inicia o processo de fisioterapia para recobrar os movimentos, força e estabilidade.

Os jovens costumam apresentar uma boa recuperação pós-cirúrgica e, com ajuda da fisioterapia constante, voltam a ter uma vida igual ou muito semelhante à que tinham antes da fratura.

No idoso, o pós-operatório costuma ser mais demorado e difícil. Nos casos de próteses de quadril, é importante estimular caminhadas o mais breve possível, para retomar a confiança e estimular o equilíbrio e força nas pernas. Alguns pacientes dessa faixa etária não recobram uma caminhada funcional e se tornam dependentes para realizar as tarefas mais simples do dia a dia. Casos de depressão e isolamento social são comuns nesses indivíduos.

Prevenção

Por conta das complicações atreladas aos distúrbios de mobilidade e emocionais, cerca de 20% dos idosos que fraturam o quadril acabam falecendo no período de um ano após a cirurgia. Por isso, a prevenção é extremamente importante para evitar as quedas.

Acompanhamento médico constante e ambientes funcionais – barras pela casa, tapetes anti-derrapantes, cadeira de banho, banheiro adaptado, camas com grades, bengalas, andadores, sapatos corretos, fisioterapias e hidroterapias – auxiliam muito na prevenção das quedas.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114
WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100
WhatsApp: (11) 94143-0032