Pé e Tornozelo

O que é?

A metatarsalgia é o termo empregado para a dor localizada na porção frontal dos pés. Especificamente nos metatarsos, formados por cinco ossos medianos que se articulam com os dedos anteriormente e com os ossos do médio pé posteriormente.

Os pacientes acometidos pelo problema geralmente se queixam de uma sensação de aumento do volume da região plantar do antepé que aumenta gradativamente, caso a pessoa ainda não tenha buscado ajuda médica.

Esse desconforto se dá em virtude ao aumento da pressão na região plantar anterior do pé. Quando há essa sobrecarga exagerada na cabeça do metatarso, os ossos começam a apresentar um quadro de edema (inchaço), inflamação, calosidade e, em muitos casos, até a fratura por estresse pode acontecer.

Apesar da dor no pé ser bastante incômoda, e provocar certa limitação nos movimentos, a condição é fácil de ser tratada. Inclusive, com aporte de fisioterapia e/ou palmilhas é possível reverter esse quadro de desconforto.

Muitas vezes a metatarsalgia está associada com o aparecimento do Neuroma de Morton, que é um espessamento do nervo interdigital situado entre os ossos metatarsos. Esta lesão pode ocasionar adormecimento dos dedos do pé, choques e muita dor ao pisar. A dor costuma piorar quando pressionamos o pé pelas suas laterais, simulando um sapato apertado.

Quais as causas?

Como já enfatizado logo acima, a metatarsalgia tem origem da sobrecarga exagerada sobre os ossos metatarsos, principalmente o segundo e o terceiro. Esse desgaste contribui para o surgimento de inflamações na região.

A dor nessa região do pé acontece por várias razões. A principal dela é o uso inadequado e excessivo de sapatos de salto alto ou bico fino. Nesse caso, o calçado contribui para que toda a pressão do corpo esteja concentrada na ponta dos pés.

Dessa forma a cabeça do metatarso recebe uma carga acima do que pode sustentar normalmente, fazendo com que os dedos e ossos sejam comprimidos. Por isso, a metatarsalgia é muito comum em executivas. O mesmo pode acontecer para quem está acostumado a utilizar calçados muito apertados.

Praticantes de atividades físicas e esportivas de alto rendimento, tal como maratonistas e corredores em geral, compreendem o grupo de risco em atletas que podem ser acometidos com esse tipo de dor na planta do pé. O alto e incessante impacto proporcionado pela performance desgasta os ossos metatarsos. Tenistas e saltadores também são esportistas que comumente sofrem com essa condição.

Além disso, obesos podem sofrer com o excesso de peso nos pés, bem como pessoas que apresentam pé cavo (arqueamento aumentado na planta do pé). Neste caso, o paciente está sujeito à lesão devido a redução da área de apoio com o solo. Fatalmente a cabeça dos metatarsos sofrerão com um desgaste natural maior.

Sintomas 

A princípio a metatarsalgia se manifesta com pequenos desconfortos na ponta do pé. Conforme a progressão da lesão nos ossos metatarsos, a dor no pé começa a se intensificar de forma gradativa.

Em determinado momento, se a pessoa acometida pelo desconforto não procurar ajuda médica, a lesão poderá se agravar com o surgimento de fraturas e limitações de movimentos. Por isso, fique atento ao primeiro sinal de dor na planta do pé, principalmente durante a caminhada, corrida ou flexão dos dedos. Essa é uma das principais evidências da metatarsalgia.

Outro sintoma que comumente está associado à condição, se diz respeito ao aparecimento de calos no local da dor. De forma geral, essa calosidade na parte da frente do pé se forma em virtude da mesma sobrecarga que originou a doença..

Além da dor no pé, limitação de movimentos e formação de calos, o paciente acometido acusa um desconforto na região que se assemelha a uma pedra no sapato. Formigamentos e dormência também podem ser normais com a progressão da dor.

Diagnóstico e tratamento

Com o surgimento de dor na planta do pé, calosidade, limitação de movimentos e formigamentos, o ortopedista identificará o problema com um mero exame clínico. Exames de imagem como radiografias ou ressonância magnética podem ajudar no diagnóstico final.

O tratamento mais comum para a metatarsalgia é a fisioterapia. Com ela, o paciente poderá aperfeiçoar a forma correta do jeito de andar. Além de suprimir os desconfortos causados pela lesão, também auxilia na mobilidade e no apoio dos pés sobre o solo.

De forma geral, a fisioterapia motora é a mais comum para casos de metatarsalgia, diferente da abordagem proposta para o trato de esporão calcâneo ou fascite plantar, ambas lesões do pé. Aqui os dedos do paciente são delicadamente flexionados e estendidos, de modo que os movimentos de cima para baixo sejam repetidos regularmente. Esse exercício ajuda bastante na diminuição dos sintomas. Durante a fisioterapia, o treinamento da marcha também pode ajudar a corrigir vícios posturais.

Outras recomendações podem ser o uso de palminhas sob medida, reeducação da marcha, perda de peso e readequação do uso de calçados. Com essas providências dificilmente o paciente apresentará uma recidiva.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114

WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100

WhatsApp: (11) 94143-0032

Redes sociais