Pé e Tornozelo

Um dos esportes mais praticados no Brasil, atualmente, é o basquete. Seja por influência dos grandes astros da NBA, como Lebron James e Stephen Curry, seja pela facilidade em praticá-lo em qualquer lugar, o esporte está, cada vez mais, ganhando adeptos pelo país.

Entretanto, se é uma atividade extremamente benéfica, exercitando respiração, músculos das pernas, costas e braços, ele também gera algumas lesões bastante sérias. O esporte exige contato, movimentação rápida e vários outros movimentos que podem gerar lesões em seus praticantes.

Não é incomum que os atletas apresentem problemas nos punhos, braços, fratura no pé e outros problemas relacionados ao tornozelo. De toda forma, para atletas profissionais ou não, uma das lesões mais recorrentes nesse esporte é a lesão ligamentar do tornozelo.

O que é?

Trata-se de um estiramento ou ruptura dos ligamentos do tornozelo. Os ligamentos, vale dizer, são os responsáveis por fazer a conexão entre os ossos e as articulações e, uma de suas funções fundamentais, é a de restringir o extremo do movimento. O problema acontece quando um indivíduo sofre com uma torção de tornozelo, seja praticando esportes, seja andando.

Sintomas

O principal sintoma de uma entorse fica por conta da dor constante. Além disso, é comum que o paciente não consiga apoiar o peso do corpo sobre o pé, sofra com inchaços, edemas e uma dor na região lateral do tornozelo. É possível que apareçam, também, hematomas vermelhos ou roxos na região da dor.

Diagnóstico

O paciente precisa ser encaminhado para um médico ortopedista para que o diagnóstico seja feito de maneira correta. Durante a consulta, o ortopedista vai conversar com o paciente sobre a sua rotina esportiva, de exercícios e vai tentar entender desde quando essas dores e problemas apareceram. É importante especificar quais os tipos de dor no tornozelo o paciente sente e se houve alguma torção em um passado recente.

Não é incomum que o médico solicite exames de imagem, como um raio-x ou ressonância magnética, para ter certeza do diagnóstico. Exames envolvendo o toque no lugar também são comuns e são importantes para avaliar o tamanho da lesão, da dor e descartar problemas como por exemplo, uma fratura.

O simples exame físico com o teste da “gaveta”, pode fazer o diagnóstico de forma simples, de uma lesão ligamentar do tornozelo. Neste teste o médico puxa o pé para frente, comparativamente com o lado oposto, como se estivesse abrindo uma gaveta. Nos casos em que a “gaveta abre” diferentemente do lado oposto, diagnostica-se uma lesão do ligamento.

Tratamento

Diagnosticado com a lesão ligamentar do tornozelo, é preciso começar o tratamento imediatamente para poder voltar à prática esportiva e as atividades diárias o quanto antes. O primeiro passo é seguir a risca as recomendações médicas que, provavelmente, envolverão repouso e compressas de gelo, além da elevação do pé.

A ideia é que o problema seja minimizado e que as dores, aos poucos, vão diminuindo. Em casos de inchaço excessivo, alguns ortopedistas optam por indicar compressas com bolsa de gelo, ideal para ajudar no desinchaço da região. Além disso, em casos um pouco mais graves, são recomendadas sessões de fisioterapia.

O grande objetivo desse tratamento é fortalecer a musculatura da região, fazendo com que ele se fortaleça novamente e consiga ajudar no controle da articulação. Além disso, com o passar das sessões, as dores vão diminuindo e a volta da prática esportiva e atividades diárias se tornam possíveis.

Os exercícios fisioterápicos consistirão em alongamentos, com a ajuda de aparelhos específicos, e atividades de movimentos, buscando a recuperação da força. Claro que, em lesões mais sérias, é possível que o médico faça uso de uma tala para imobilizar o tornozelo por algumas semanas, buscando a contenção da lesão.

Além disso, anti-inflamatórios também pode acontecer. É importante deixar claro que a automedicação não pode e nem deve acontecer, evitando que um problema maior esteja sendo coberto.

É bastante improvável que seja necessário realizar algum procedimento cirúrgico. Apenas atleta de alto nível, com lesões em graus elevados torção precisam desse tipo de tratamento. Alguns estudos já mostraram que os tratamentos conservadores, se comparados com os invasivos, resultam no mesmo. Portanto, a cirurgia é um procedimento secundário na falha do tratamento conservador ou reservado para casos mais graves de rupturas complexas.

Outras Informações

É possível evitar os problemas de entorse no tornozelo. Realizar a prática esportiva protegido, com imobilizadores, podem reduzir drasticamente a possibilidade de uma lesão desse tipo. Os pacientes que já passaram por esse problema, podem utilizar esses acessórios para evitar novas lesões. O fortalecimento da região também previne esse tipo de problema, afinal, com os músculos da perna mais densos, é mais difícil uma torção gerar problemas nos ligamentos.

De maneira geral, o ideal é praticar o esporte com segurança, utilizando equipamentos adequados (como imobilizadores e tênis corretos) e, em caso de dores, torções e batidas mais sérias, não se auto medicar e procurar um ortopedista o quanto antes.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114

WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100

WhatsApp: (11) 94143-0032

Redes sociais