Ortopedia Geral

O que é?

Osteoporose. Você já deve ter ouvido falar nessa doença, mas você entende realmente o que é a osteoporose? O que define a Osteoporose é a perda da massa óssea. Quando essa massa diminui, os ossos ficam enfraquecidos e podem quebrar muito mais facilmente.

Ela é uma doença osteometabólica, sistêmica e progressiva. Basicamente, isso quer dizer que a condição atinge o metabolismo ósseo, podendo afetar qualquer osso do corpo humano e com avanço contínuo.

Quais as causas?

A causa primária mais comum da Osteoporose está ligada ao envelhecimento, a perda da massa óssea, que algumas pessoas apresentam com o passar dos anos.

Existe também a causa secundária, em que a Osteoporose está ligada a outras condições, que levam à redução da massa óssea. Doenças como o hipertireoidismo e artrite reumatoide podem estar associadas a casos de Osteoporose, assim como deficiência de vitamina D, anorexia e raquitismo.

Grupo de Risco

A Osteoporose pode acontecer em qualquer pessoa, mas existem grupos específicos que devem redobrar a atenção. Na avaliação de risco devem ser levados em consideração o sexo, a idade, o estilo de vida e o histórico familiar.

A Osteoporose aparece com mais frequência em mulheres no período pós-menopausa. Isso ocorre porque, com a interrupção dos ciclos menstruais, o corpo feminino passa por um período de alteração hormonal rápido e intenso, com quedas significativas dos níveis de estrogênio. O hormônio tem participação importante no processo realizado pelo corpo para manter a massa óssea e a sua redução pode acabar ajudando no desenvolvimento da Osteoporose.

A doença também pode atingir pessoas com histórico familiar de Osteoporose e pacientes que utilizam alguns medicamentos por muito tempo, como corticoides.

O estilo de vida é um dos fatores importantes para colocar ou não alguém no grupo de risco da Osteoporose. Uma dieta alimentar fraca, com quantidades baixas de cálcio e vitamina D (que são importantes para os ossos), pode criar o ambiente ideal para a Osteoporose.

O excesso de consumo de álcool e fumo, além do sedentarismo, também são fatores que influenciam o desenvolvimento da doença. 

Sintomas

A principal consequência da Osteoporose é a fratura. Nos casos da doença, ela costuma ocorrer com certa frequência e a partir de impactos menores (por conta da fragilidade dos ossos). São muito comuns as Fraturas da Coluna e as Fraturas de Quadril. Em alguns casos, o paciente pode sentir dor crônica e diminuir alguns centímetros em estatura.  

O mais comum é que a Osteoporose permaneça assintomática (sem apresentar sintomas) por um período de tempo. Isso ocorre porque a perda de massa óssea pode não causar fraturas logo no início, só após uma porcentagem de redução óssea (normalmente entre 30% e 40%). 

Diagnóstico e Prevenção

O diagnóstico da Osteoporose acontece, inicialmente, por um exame clínico detalhado composto pela coleta de dados e pelo exame físico.

Nessa fase, o médico deverá saber do paciente o histórico familiar, seu estilo de vida (como ele se alimenta, se fuma ou consome muita bebida alcóolica, qual a quantidade de exercícios físicos que faz) e também os sintomas apresentados. Em seguida, o especialista deve realizar um exame físico minucioso. Se já houver fratura, o médico solicita exames de raio-X para avaliar a gravidade e orientar o tratamento.

O exame mais comum para diagnosticar e também prevenir a Osteoporose é o de Densitometria Óssea, realizado pela técnica DEXA (absorciometria por raio-X com dupla energia). Esse exame “mede” a massa óssea e possibilita a avaliação do estágio da doença, além de ser usado também para acompanhar o quadro durante o tratamento.

Se o paciente tem histórico familiar da doença, é mulher no período pós-menopausa ou é homem com mais de 60 anos, é importante conversar com o médico sobre a possibilidade de realizar o exame de Densitometria Óssea, com regularidade, como método de prevenção.

Para evitar o desenvolvimento da doença, é importante também realizar exercícios físicos com regularidade (e supervisionados por profissionais), evitar bebidas alcóolicas e cigarro, manter uma alimentação saudável e, se necessário, fazer suplementação de cálcio e vitamina D (aqui também vale um solzinho matinal).

Tratamento

Os tratamentos para a Osteoporose passam pelos métodos de prevenção. Exercícios físicos, boa alimentação e reposição suplementar são essenciais para tratar a doença, já que auxiliam de maneira positiva no processo de obtenção da massa óssea.

Além disso, acontece paralelamente o tratamento com medicamentos que estimulam a produção da massa óssea e reduzem a reabsorção (Bisfosfonatos, Raloxifeno, Calcitonina, Ranelato de Estrôncio, entre outros). A escolha da medicação é realizada a partir da gravidade da Osteoporose e ligação com outra condição (causa secundária).

Alguns tipos de fraturas causadas por Osteoporose na Coluna ou Osteoporose no Quadril, por exemplo, podem receber a indicação cirúrgica. Existem métodos pouco invasivos, como a cifoplastia (injeção de cimento), que podem resolver o problema. Mas, caso seja necessário, o médico pode orientar uma cirurgia aberta.

Evitar quedas também faz parte do tratamento, principalmente nos pacientes idosos. Existem diversas cartilhas, disponíveis com médicos, que contém dicas de como adaptar a casa, andar na rua e criar ambientes mais seguros para quem tem Osteoporose.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114
WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100
WhatsApp: (11) 94143-0032