Ombro

O que é?

O corpo humano possui diversas articulações, pontos de junção entre ossos, que permitem a realização de movimentos. No ombro, na parte superior, nós temos uma articulação chamada Acromioclavicular. Ela une a extremidade da clavícula (o osso da ‘saboneteira’) e o acrômio, uma projeção óssea da escápula, outro osso que compõe o ombro.

A Artrose é uma doença degenerativa das articulações. Ela causa um desgaste contínuo da cartilagem que reveste os ossos e das outras estruturas presentes. É como se o óleo de uma dobradiça secasse e ela fosse enferrujando com o tempo. Quando esse processo acontece na articulação citada acima, ocorre a Artrose Acromioclavicular.

Quais as causas?

A Artrose Acromioclavicular pode ter diferentes causas. Uma delas é o envelhecimento natural. Em alguns pacientes, o surgimento precoce pode estar ligado a algum fator genético que facilita o desenvolvimento da Artrose. Em outros, o desgaste pode ser consequência do uso da articulação durante toda a vida, uma causa “natural”.

A sobrecarga do membro (movimentos repetitivos que levam os braços acima da cabeça) também pode resultar em Artrose Acromioclavicular. Não é incomum encontrar atletas que utilizam excessivamente a articulação com a doença – inclusive os jovens. Nadadores, tenistas e levantadores de peso estão entre os mais afetados. Praticantes de musculação, profissionais ou amadores, também precisam redobrar os cuidados com a região, já que ela é bem exigida durante os exercícios.

A Artrose Acromioclavicular pode surgir também em consequência de algum trauma, como uma Fratura de Clavícula, ou estar associada à outra lesão. Existem casos de pacientes que sofreram uma Luxação Acromioclavicular e, posteriormente, desenvolveram Artrose Acromioclavicular.

Sintomas

A doença pode passar um bom tempo sem ser percebida pelo paciente. Muitos casos permanecem assintomáticos por meses ou até anos.

Quando há presença de sintomas, é muito comum a pessoa ter dor no ombro (com ele parado ou ao apalpar). O incômodo pode se intensificar quando é preciso realizar movimentos rotacionais ou de elevação do braço acima da cabeça. Em alguns casos, é possível perceber uma saliência no local da articulação. Ocorre piora da dor também durante a noite, na cama, quando se deita em cima do ombro acometido.

Diagnóstico

A união dos sintomas e do histórico do paciente (e/ou sua idade) já ajuda o médico especialista a perceber a presença da Artrose Acromioclavicular. Em geral, é necessário realizar também uma radiografia para confirmar o diagnóstico verificando o desgaste da articulação.

Alguns médicos podem solicitar também outros exames de imagem, como a ressonância magnética, para concluir o diagnóstico e também descartas outras suspeitas, além de verificar possíveis lesões associadas.

Tratamento

A Artrose Acromioclavicular não tem cura, pois não há reversão do quadro, mas tem tratamento para alívio significativo dos sintomas. Nos casos menos agressivos, o tratamento conservador é indicado. Nele, acontece a união do uso de medicamentos, como analgésicos e anti-inflamatórios, uso de gelo local, o repouso – essencial para evitar a sobrecarga da articulação – e a fisioterapia. Nos casos persistente, pode-se realizar uma infiltração no local com corticoide.

Para algumas pessoas, pode parecer incoerente parar com exercícios que sobrecarreguem a região e, ao mesmo tempo, começar sessões de fisioterapia. Acontece que, na fisioterapia, o programa de atividades é específico e voltado para o fortalecimento da região, sempre com assistência de um profissional que vai acompanhar a evolução do quadro e indicar os exercícios necessários que não prejudiquem a articulação.

Não existe um período exato para o tratamento. Tudo vai depender do quadro do paciente, dos sintomas e da evolução. É necessário acompanhar a doença com um médico especialista e tomar realizar todo o programa indicado.

Alguns casos não respondem bem ao tratamento conservador e podem ser encaminhados para a cirurgia. A técnica mais utilizada é a ressecção da extremidade distal da clavícula (0,6cm) por uma Artroscopia (cirurgia de Mumford artroscópico). O procedimento é relativamente simples e tem bons resultados, mas só deve ser indicado na falha do tratamento conservador inicial.

Agende sua consulta online

Marque agora sua consulta através do nosso agendamento online.

Agende agora

Serviços ao paciente

Veja aqui a relação de serviços próximos a nossos endereços:

Unidade Perdizes

Rua Cardoso de Almeida, 634 Cj 32
Perdizes - São Paulo, SP
CEP: 05013-000

Telefone: (11) 3672-3114
WhatsApp: (11) 98834-1309

Unidade Berrini

Rua Hilário Furlan, 107
Brooklin - São Paulo, SP
CEP: 04571-180

Telefone: (11) 2117-0100
WhatsApp: (11) 94143-0032